Você sabe quando ir ao pronto atendimento?

De acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Emergência, cerca de 60% dos casos que chegam às emergências poderiam ser resolvidos em consultas de rotina. ..........................................................................................................................................................................................

As unidades de pronto atendimento, como o próprio nome diz, destinam-se a atender rapidamente pacientes que estejam em situações de urgência ou emergência. Mas ainda são poucas as pessoas que sabem sua real função. Por serem abrangentes e disponíveis 24 horas por dia, muitas vezes são usadas como alternativa ao consultório médico, o que não é o ideal.

Sintomas são alertas do organismo e não devem ser ignorados. Porém, nem todo caso precisa ser tratado como uma emergência. Você sabia que o pronto atendimento não é o local mais adequado para solicitação e verificação de exames de rotina, atestados de saúde, renovação de receita de medicamento controlado, retirada de pontos, retirada de gesso e outros procedimentos que não são classificados como críticos?

Segundo a Coordenadora dos Prontos Atendimentos da Unimed-Rio, Dra. Monica Barros, a maioria dos casos que chegam às unidades poderiam ter sido atendidos com hora marcada, em consultório. “Atualmente, cerca de 60% dos atendimentos são classificados como não urgência e, consequentemente, seriam passíveis de resolução ambulatorial, como os casos de gripe ou sintomas iniciados há mais de 15 dias (lombalgias, dores articulares, abdominais e pélvicas)”. A situação não é diferente no restante do país. De acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Emergência (Abramede), 60% das ocorrências que chegam à emergência poderiam ser resolvidos em consultas de rotina.

Quando pessoas que não estão em estado crítico optam pelo pronto atendimento, além de se exporem a doenças típicas de ambientes hospitalares, acabam competindo com os casos que realmente precisariam de atenção naquele momento. “Nossa equipe é continuamente treinada para lidar com situações de emergência médica, como dor torácica, falta de ar, pressão arterial alta ou baixa demais, palpitações, desmaios, cortes e traumas osteoarticulares, entre outros. Por isso, para minimizar a demora nas filas de emergência, é importante que os pacientes e seus familiares compreendam em quais casos se deve procurar o pronto atendimento”, frisa a Dra. Monica Barros.

Outro fato importante que deve sempre ser levado em consideração, é que o serviço prestado nos prontos atendimentos combate apenas os sintomas, ou seja, não investiga a fundo a causa da doença. Para receber um diagnóstico mais completo e o tratamento adequado, o mais indicado é manter uma frequência de consultas com seu o médico de confiança que, ao marcar consultas de retorno, obtém informações detalhadas sobre o andamento da sua saúde.

Pronto Atendimento Unimed-Rio

Se você precisar de atendimento de urgência ou emergência, vá a um dos Prontos Atendimentos da Unimed-Rio. Nossas unidades contam com excelência técnica e estrutural para atender emergencialmente qualquer tipo de paciente. Lá, você encontrará qualidade e acolhimento no momento em que mais precisa.

Assim que chegam ao Pronto Atendimento, os pacientes passam por uma triagem e são classificados de acordo com o “Protocolo de Manchester”, no qual são classificados nas cores verde, amarela e vermelha, indo de casos de menor para maior gravidade, recebendo a devida prioridade no atendimento.

As unidades oferecem atendimentos nas áreas de Clínica Médica, Pediatria (24 horas) e Ortopedia (7h às 21h). Os serviços estão disponíveis para os clientes de todos os planos Unimed-Rio. Confira os endereços aqui.




Dica

Dica